Na próxima década, os veleiros usados nas travessias pelos mares do planeta serão de 60 pés (18,29m) com foils. Já nas regatas in-port, as equipes vão usar catamarãs voadores 32-50 pés (10-15m), que são leves e rápidos. Os modelos para o desafio mais duro do esporte são desenvolvidos pelo projetista francês Guillaume Verdier. Para a edição 2017-2018 da Volvo Ocean Race, que começa em outubro deste ano, as equipes continuam a utilizar os barcos Volvo Ocean 65, tanto nas pernas mais longas quanto nas regatas in-port.

O CEO da Volvo Ocean Race, Mike Turner, deu mais informações sobre as mudanças. “Nós continuamos fiéis ao nosso DNA de regata oceânica, mas agora vamos testar o limite dos melhores velejadores do mundo nas regatas costeiras. Ao mesmo tempo, as oportunidades comerciais ganham elementos extras. Continuamos sendo um dos poucos eventos esportivos globais, profissionais e de excelência com um grande pacote comercial que acompanha o produto, com um excelente produto Business to Business, além de um rico patrimônio e fortes opções de ativação para os consumidores, mídia e parceiros. Temos sorte de continuar com o apoio tão forte e consistente da Volvo por duas décadas. A regata nunca esteve em uma posição tão forte como daqui em diante”.

As iniciativas não impactam apenas os velejadores com os novos modelos de barco! Toda a comunidade da vela oceânica e os patrocinadores serão beneficiados.