Conheça esta antiga ferramenta de navegação.

O astrolábio é um instrumento antigo, que servia não só para a navegação, mas também para medir alturas e profundidades. O anel na parte superior permite que o instrumento seja pendurado na vertical. As partes em relevo curvo indicam algumas estrelas com seus nomes escritos em latim. Calcula-se que o astrolábio tenha começado a ser usado por volta de 150 A.C.. Este aparelho de cálculo e medida passou pelas mãos dos gregos sendo trazido para a Europa pelos árabes ainda na idade média. Usado com diversos propósitos, o astrolábio servia para medir a altura e posição dos astros, sendo isto muito útil para a navegação marítima.

O astrolábio planisfério consiste, basicamente de dois discos planos, geralmente feitos de cobre. Um deles representa a Terra, e é marcado com as linhas de latitude , longitude, horizonte e outras linhas, indicando ângulos acima do horizonte. O outro disco é um mapa simples do céu, com as posições das estrelas, indicando por ponteiros curvos, e com a elíptica (linha do movimento anual aparente do sol). Através de um calendário, conseguia-se determinar qual a localização geográfica do sol, consoante o dia do ano em que se estivesse.

Muitos exemplares espalhados pelo mundo foram fabricados em Portugal, e tem o nome, ou a marca de seus fabricantes como Agostinho de Góis Raposo, Francisco Góis e João Dias. Poucos astrolábios náuticos chegaram até os nossos dias, mas com o desenvolvimento da arqueologia subaquática, foi possível recuperar mais exemplares. Existem atualmente cerca de oitenta astrolábios, mundialmente registrados no Museu Marítimo de Greenwhich.