A America’s Cup é considerada a mais antiga prova internacional de esporte do mundo, remontando ao ano de 1851. Ao longo das décadas, seguidos avanços tecnológicos foram aplicados aos barcos participantes da competição.

Mas, nenhuma inovação foi tão radical e determinante quanto a introdução, na edição de 2013, de uma poderosa “arma”. Aproveitando uma brecha no regulamento, os neozelandeses trouxeram o catamarã Aotearoa, o primeiro barco da America’s Cup a utilizar hidrofólios, recurso que desde o final do século 19 já era conhecido no mundo náutico.

Hidrofólios são asas que ficam submersas sob os cascos que os projetam para cima. Quando o catamarã está “voando”, os cascos perdem contato com a água e o arrasto é muito menor - consequentemente, a velocidade aumenta muito.

A partir da série de regatas realizadas naquele ano na baía de São Francisco, a America’s Cup mudou para sempre.