Pode parecer bobagem, mas não é. O cabo certo para cada aplicação dentro de uma embarcação, seja em um veleiro ou em uma lancha, é de fundamental importância para que se consiga desempenho e durabilidade do cabo aliada à segurança do barco. O termo “conjunto” é também fundamental, uma vez que é preciso ter a bordo diversos tipos de cabo para usos específicos. Então, vamos definir, de forma resumida, os cabos e suas aplicações.

Amarra Principal ou Cabo da Âncora

Muitas embarcações usam apenas a corrente para amarrar a âncora, principalmente as de maior porte, mas existem no mercado os cabos mistos, que têm um trecho de corrente emendado a um cabo de fibra sintética. A vantagem da amarração mista é que, além da enorme redução de peso na proa do barco, o cabo fornece elasticidade à linha de ancoragem, reduzindo o esforço de tração sobre ela e sobre os cunhos do barco. Em mares revoltos, isso se torna mais eficaz, pois evita os trancos e uma possível escapada daâncora. Mas nunca se deve usar um cabo totalmente sintético para amarrar a âncora. Usar um trecho de corrente junto ao “ferro” é de fundamental importância para ajudá-lo a unhar o solo marinho e evitar o contato abrasivo do cabo com o fundo, rochas e areia

Amarra de Popa ou Cabo de Âncora Auxiliar

É um cabo curto (30 m na maioria dos casos já resolve), torcido de três pernas de poliamida (nylon), sem corrente, conectado diretamente à âncora. Sua função principal é fazer o fundeio sem rotação, que, em conjunto com a amarra principal, deixa o barco fixo sem girar, ou em ancoragens rápidas em pouca profundidade e perto de praias, evitando usar a amarra principal.

Cabo Solteiro

É um cabo sem aplicação específica a bordo e de uso eventual. É recomendado que seja flutuante (polipropileno) e tenha um comprimento grande (pelo menos 40/50 metros). Sua função é de uso auxiliar, como um resgate, reboque de outra embarcação, uma amarração em ponto distante ou qualquer outra eventualidade. Por isso, é ideal que ele tenha um bom comprimento (mínimo de 40 metros), flutue, tenha uma boa resistência à tração e muita facilidade de manuseio.

Espias ou Cabos de Atracação

São utilizados para amarrar o barco em píeres e locais de embarque/desembarque. Usam-se os mesmos cabos da amarra principal, mas há quem prefira um cabo de bitola um número menor.

Cabo de Retinida para Boias Circulares

É um cabo de 8 mm x 30 m, trançado de polipropileno ou polietileno, flutuante e na cor amarela ou branca. Sua aplicação é exclusiva para o lançamento da boia salva-vidas quando temos uma situação de resgate de pessoas no mar.

Cabos para Defensas

São cabinhos de 6 ou 8 mm, de comprimento de 1,5 a 3 metros, em nylon ou poliéster, fibras muito resistentes aos raios UV. Possuem uma alça pequena costurada em uma das pontas para dar a laçada no olhal da defensa.

Adriças e Escotas

São os cabos de manuseio das velas de um barco. As adriças são os cabos que trabalham nos mastros e têm função de içamento e amarração vertical das velas/outros aparelhos e as escotas são os cabos de manuseio lateral, ajudando nos movimentos de “caçar” e “folgar” as velas.

Aqui na Velamar você encontra os cabos que precisa para deixar a sua embarcação padronizada e elegante, com uma diversidade e cores e com toda a eficiência que os cabos náuticos de qualidade possuem.

Confira!